Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VEZES 100 CONTO

All has not been said and never will be. Samuel Beckett

Santos da casa precisam de milagres (URGENTE)

A538FA8E-A6A8-4615-850D-7ABA65B5916D.jpeg

Os loucos e os bêbedos são os últimos santos que sobraram na Terra.

 

Charles Bukowski, South of No North

 

A origem não facilita. Tem até vista curta para os da casa.

Os pares, também, raramente se entusiasmam connosco e os nossos acabam tratando-nos como aos outros, não abonando a nosso favor.

Por isso a fila dos santos da casa é extensa e está entregue aos homónimos mais antigos, o que só prejudica.

Estes, com as asas chamuscadas, num requentado antigo, por conta do espírito crítico triplicando as ideias, mandam os mais novos para o fim da linha. Donde nunca vão sair. Devido aos pesos e medidas diferentes a que estão entregues.

O pior inimigo do santo da casa é, afinal, o outro santo da casa.

Por essas e outras razões, porventura até mais importantes, os santos da casa são o segredo mais bem guardado. 

Nunca têm o que é preciso.

Acabam a ser alvo de invejas e saqueados, sem misericórdia, pelos outros aspirantes (mais antigos) a santos da casa, já entrados há bastas gerações nas pretensões (a idade nos santos da casa continua a ser um posto).

Com ares de anjo, caminhando cuidadosamente com os pés de barro, de paixão impotente e talento invisível, vão-se afirmando mais milagreiros, cobiçando-lhes os devotos ainda virgens, escondendo as intenções e ao que vão, fingindo-se disponíveis, enquanto são louvados por amigos e conhecidos em capelinhas só para si.

Por isso os santos da casa acabados de chegar não servem para peditórios domésticos, por falta de devoção e altar próprio.

Não vão de encontro às expectativas.

São discriminados.

Espoliados. 

Preteridos.

Sem direito a mimo ou conduto.

Desvalorizados. 

Excomungados.

Postos na prateleira mais inalcançável, no lugar mais ao fundo.

Longe de olhares e reverências.

Não são convidados ou publicitados.

Têm façanhas desconhecidas e/ou desvalorizadas.

Não servem para cartaz nem encabeçam.

Não admira que acabem sem conseguir fazer milagres, incapazes de desentrevar ou salvar das febres.

Afogando-se nas águas sobre que deviam caminhar ou isolados, em quarenta sem fim à vista, numa leprosaria longínqua.

A maioria acaba a mudar de paróquia. 

Até aos santos acaba a paciência!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.